quinta-feira, 28 de junho de 2012

Aos meus amigos

Oi amigos, olha eu aqui de volta, tirei umas férias merecidas. Depois de um ano e meio de sofrimento e medo de perder a visão, cheguei a fazer duas cirurgias e três injeções oculares, ainda não sei se vou continuar com as injeções.

No começo do ano sofri muitas dores com uma calcificação na parte direita no quadril que me pôs na cama por quase quinze dias. Fiz radiografia, ultrassonografia e fisioterapia, aos poucos fui melhorando.

Quando criei o blog prometi a mim mesma que não ia falar de doenças e coisas tristes, teve um momento que não pude mais cumprir a minha palavra, escolhi as amigas Chica, Anna Lieri e Amapola, para abrir o coração, onde só recebi carinho e esperança pelos quais estou agradecendo, também agradeço ao amigo José Cláudio, o nosso Cacá, de quem eu recebi palavras de afeto que me fizeram chorar, obrigado a vocês amigos e me desculpem também pois cada um com seus problemas.

Aproveitei esses dias para descansar e fazer o que mais gosto, viajar,  na segunda-feira, dia 2, irei a São Paulo assistir o concerto de André Rieu, no dia 5 eu regresso e logo em seguida retorno para o blog para contar a todos como foi, e respondendo a todos que tiveram a gentileza de me escrever.

Um abraço amigo, Celina.

Muita paz.

segunda-feira, 11 de junho de 2012

Meu filho

Foi numa manhã de maio, precisamente no dia três que o meu quarto filho veio ao mundo. Nasceu forte, mas em um mês tinha perdido um quilo, nasceu com intolerância a lactose.
Depois que descobrimos e tratamos, ele finalmente cresceu forte e treloso! tinha um temperamento forte, genioso, mas era a alegria da casa com o seu senso de humor.
Começou a namorar cedo, conheceu a sua esposa aos treze anos de idade, foram colegas de colégio. Depois viajamos para Brasília e eles ficaram se correspondendo, ela foi nos visitar, ai incrementaram mais o namoro.
Prestou concurso para o Banerj e passou, foi apenas o tempo de voltarmos e seis meses depois eles casaram-se. 

Desta união nasceram três filhos, conseguiram formar todos, casou um deles agora a pouco, vi então meu filho chorar, as lágrimas rolavam pelo seu rosto.

Este ano comemoraram bodas de pérolas (30 anos!) e ganharam dos filhos um presente inesquecível, uma segunda lua de mel, a primeira havia sido em Natal/RN e esta agora foi uma visita as cataratas do Iguaçu.
Amo a minha nora, por ela e por fazer o meu filho um homem feliz. Estamos sempre juntos em toda reunião de família, em nossas famosas festinhas eles estão sempre presente nos alegrando com seu senso de humor. Cada um tem um apelido carinhoso bolado por ele.
Meu filho a tua mãe te ama muito! Rogo a Deus para que te abençoe e te cubra de muitas felicidades.


Paz,
Celina


PS.: Estou encerrando este ciclo de crônicas familiares e fazendo uma pequena pausa no blog, volto logo mais.

quinta-feira, 7 de junho de 2012

Instantes

Imagem do Google



Se eu pudesse viver novamente a minha vida, na próxima trataria de cometer mais erros.

Não tentaria ser tão perfeito, relaxaria mais.

Seria mais tolo ainda do que tenho sido, na verdade bem poucas coisas levaria a serio.

Seria menos higiênico.

Correria mais riscos, viajaria mais, contemplaria mais entardeceres, subiria mais montanhas, nadaria mais rios.

Iria a mais lugares onde nunca fui, tomaria mais sorvete e menos lentilha, teria mais problemas reais e menos imaginários.

Eu fui uma dessas pessoas que viveu sensata e produtivamente cada minuto da sua vida.

Claro que tive momentos de alegria.

Mas, se pudesse voltar a viver trataria de ter só bons momentos.

Porque, se não sabem, disso é feita a vida, só de momentos, não percas o agora.

Eu era um desses que nunca ia a parte alguma sem um termômetro, uma bolsa de água quente, um guarda chuva e um pára-quedas.

Se voltasse a viver viajaria mais leve.

Se eu pudesse voltar a viver, começaria a andar descalço no começo da primavera e continuaria assim até o fim de outono.

Daria mais voltas na minha rua, contemplaria mais amanheceres, brincaria mais com as crianças, se eu tivesse outra vez uma vida pela frente.

Mas, já viram, tenho 85 anos e sei que estou morrendo.
Jorge Luiz Borges (poeta argentino)
Parte superior do formulário


Parte inferior do formulário
 Paz Celina

sexta-feira, 1 de junho de 2012

Transição do Planeta

Imagem do Google
"Meus filhos:Que Jesus nos abençoe*

A sociedade terrena vive, na atualidade, um grave momento mediúnico no qual, de forma inconsciente, dá-se o intercâmbio entre as duas esferas da vida. Entidades assinaladas pelo ódio, pelo ressentimento, e tomadas de amargura cobram daqueles algozes de ontem o pesado ônus da aflição que lhes tenham proporcionado. Espíritos nobres, voltados ao ideal de elevação humana sincronizam com as potências espirituais na edificação de um mundo melhor. As obsessões campeiam de forma pandêmica, confundindo-se com os transtornos psicopatológicos que trazem os processos afligentes e degenerativos.

Sucede que a Terra vivencia, neste período, a grande transição de mundo de provas e de expiações para mundo de regeneração.

Nunca houve tanta conquista da ciência e da tecnologia, e tanta hediondez do sentimento e das emoções. As glórias das conquistas do intelecto esmaecem diante do abismo da crueldade, da dissolução dos costumes, da perda da ética, e da decadência das conquistas da civilização e da cultura...

Não seja, pois, de estranhar que a dor, sob vários aspectos, espraia-se no planeta terrestre não apenas como látego, mas, sobretudo, como convite à reflexão, como análise à transitoriedade do corpo, com o propósito de convocar as mentes e os corações para o ser espiritual que todos somos.

Fala-se sobre a tragédia do cotidiano com razão.
As ameaças de natureza sísmica, a cada momento tornam-se realidade tanto de um lado como de outro do planeta. O crime campeia a solta e a floração da juventude entrega-se, com exceções compreensíveis, ao abastardamento do caráter, às licenças morais e à agressividade.

Sucede, meus filhos, que as regiões de sofrimento profundo estão liberando seus hóspedes que ali ficaram, em cárcere privado, por muitos séculos e agora, na grande transição, recebem a oportunidade de voltarem-se para o bem ou de optar pela loucura a que se têm entregado. E esses, que teimosamente permanecem no mal, a benefício próprio e do planeta, irão ao exílio em orbes inferiores onde lapidarão a alma auxiliando os seus irmãos de natureza primitiva, como nos aconteceu no passado.

Por outro lado, os nobres promotores do progresso de todos os tempos passados também se reencarnam nesta hora para acelerar as conquistas, não só da inteligência e da tecnologia de ponta, mas também dos valores morais e espirituais. Ao lado deles, benfeitores de outra dimensão emboscam-se na matéria para se tornarem os grandes líderes e sensibilizarem esses verdugos da sociedade.

Aos médiuns cabe a grande tarefa de ser ponte entre as dores e as consolações. Aos dialogadores cabe a honrosa tarefa de ser, cada um deles, psicoterapeutas de desencarnados, contribuindo para a saúde geral. Enquanto os médiuns se entregam ao benefício caridoso com os irmãos em agonia, também têm as suas dores diminuídas, o seu fardo de provas amenizadas, as suas aflições contornadas, porque o amor é o grande mensageiro da misericórdia que dilui todos os impedimentos ao progresso – é o sol da vida, meus filhos, que dissolve a névoa da ignorância e que apaga a noite da impiedade.

Reencarnastes para contribuir em favor da Nova Era.

As vossas existências não aconteceram ao acaso, foram programadas.

Antes de mergulhardes na neblina carnal, lestes o programa que vos dizia respeito e o firmastes, dando o assentimento para as provas e as glórias estelares.

O Espiritismo é Jesus que volta de braços abertos, descrucificado, ressurreto e vivo, cantando a sinfonia gloriosa da solidariedade.

Dai-vos as mãos!

Que as diferenças opinativas sejam limadas e os ideais de concordância sejam praticados. Que, quaisquer pontos de objeção tornem se secundários diante das metas a alcançar.

Sabemos das vossas dores, porque também passamos pela Terra e compreendemos que a névoa da matéria empana o discernimento e, muitas vezes, dificulta a lógica necessária para a ação correta. Mas ficais atentos: tendes compromissos com Jesus...

Não é a primeira vez que vos comprometestes enganando, enganado-vos. Mas esta é a oportunidade final, optativa para a glória da imortalidade ou para a anestesia da ilusão.

Ser espírita é encontrar o tesouro da sabedoria.
Reconhecemos que na luta cotidiana, na disputa social e econômica, financeira e humana do ganha-pão, esvai-se o entusiasmo, diminui a alegria do serviço, mas se permanecerdes fiéis, orando com as antenas direcionadas ao Pai Todo-Amor, não vos faltarão a inspiração, o apoio, as forças morais para vos defenderdes das agressões do mal que muitas vezes vos alcança.

Tende coragem, meus filhos, unidos, porque somos os trabalhadores da última hora, e o nosso será o salário igual ao do jornaleiro do primeiro momento.

Cantemos a alegria de servir e, ao sairmos daqui, levemos impresso no relicário da alma tudo aquilo que ocorreu em nossa reunião de santas intenções: as dores mais variadas, os rebeldes, os ignorantes, os aflitos, os infelizes, e também a palavra gentil dos amigos que velam por todos nós.

Confiando em nosso Senhor Jesus Cristo, que nos delegou a honra de falar em Seu nome, e em Seu nome ensinar, curar, levantar o ânimo e construir um mundo novo, rogamos a Ele, nosso divino Benfeitor, que a todos nos abençoe e nos dê a Sua paz.

São os votos do servidor humílimo e paternal de sempre,

Bezerra."

*Mensagem psicofônica de Bezerra de Menezes (espírito) transmitida por Divaldo Franco (13.11.2010 – Los Angeles)


Paz Celina