quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Natal do passado.




Imagem do Google



O meu natal eu sempre passava no interior! Como eu gostava de tudo aquilo! Ficava contando os dias para me juntar a minha família de lá.
Hoje vejo a simplicidade de tudo! A singeleza do parque de diversão que só tinha um carrossel e uma roda gigante só no nome, pois era minúscula, mais eu achava o máximo!
Decoração de natal lá ninguém conhecia, não existia nem arvore de natal nas casas, tínhamos só os presépios que muitos chamavam de “lapinha”, nas casas e dentro da igreja que era um atrativo para todos os visitantes.
Agora tinha uma atração esperada por todos, era o pastoril de “Dona Fifinha” uma senhora da sociedade  que sempre organizava com muito capricho o pastoril que só tinha as moças mais bonitas da cidade (coitada das feias,rsrs).Todos ficavam aguardando a apresentação do mesmo, vinha gente de todos os recantos só para prestigiar e ver a beleza da apresentação.
Fogos de artifícios não existia não, só foguetões, muitos foguetões!
O quartel general era a casa da minha avó, vinha os filhos que moravam em sítios mais distantes e com eles muitos convidados, tinha muita gente!
A ceia de natal era bem típica, sem perus ou carnes, tinha mais bolos, bolos diversos e saborosos, biscoitos, frutas etc. As bebidas  era vinho para os adultos e sangria (vinho com agua e açúcar) para as crianças.
Uma coisa não podia faltar, eram as roupas novas nas festividades de natal para homenagear o Menino Deus na missa do Galo. Do vestido mais simples de chita até os mais caros. O pior era o sapato novo que torturava a quase todos nas festividades! (rsrs)
No pátio da igreja ficavam as barraquinhas de prendas e comidas, palco das “paqueras’ e do desfile das roupas novas.
Para mim era a felicidade aqueles momentos mágicos! Hoje só resta o cenário de tudo isso, a geração se foi! Mas valeu! Ficou a saudade.
Um abraço fraterno, Celina.

13 comentários:

Vida & Plenitude disse...

Lindas recordações, Celina! Tanta coisa bonita, simples e importante perdemos... Mas, o verdadeiro sentido do Natal continua, será sempre Jesus vivo nos nossos corações, não é mesmo?! Ele É Amor, A Vida, A Paz!

Suas lembranças me fizeram lembrar da sangria, pastoril e vestidos novos... Rsss...

Beijos

✿ chica disse...

LIndo te ler,Celina! E essa saudade também tenho. Hoje tudo é muito produzido, requintado e cheio de complicações. Era bem mais simples e éramos tão felizes com pouco! beijos,chica( beijos pra minhas amigas, tuas filhas!)

ONG ALERTA disse...

Mágico, não podemos deixar morrer toda esta magia do Natal e sua história, beijo Lisette.

Toninhobira disse...

Pois é Celina, a simplicidade tem lá seu valor, porque ela deixa marcas e lembranças que não se apagam,como esta sua de um Natal de aproximação sem o o consumismo desenfreado de hoje.Sim eu me lembro deste Natal,com direito a Missa do Galo celebrada à Meia Noite e aquelas barracas no adro das igrejas.Era lindo tudo e ficaram nas memorias.
Um bom fim de semana com paz e alegria.
Carinhoso abraço.

Leninha disse...

Oi Celina!

Bom dia!!!

Viajei em suas lembranças,que são também as minhas...nossos Natais tinham esta simplicidade e esta beleza.
Belos tempos!
Bjsssss,
Leninha

Patrícia Pinna disse...

Boa noite, Celina. Lembranças de momentos bons fazem com que a alma certamente se alegre, fique leve contradizendo até uma dorzinha no peito, mas é assim mesmo.
Também sinto saudades de muitas coisas boas das quais vivi e hoje ficam na memória.
Muito bom e divertido o seu texto.
Um beijo muito grande e que a paz de Deus transborde o seu coração.
Obrigada pelo seu carinho e volte quando quiser!

Rita disse...

Minha querida amiga, as recordações
vieram na minha lembrança agora
esse tempo que não volta, as festas
de final de ano tbém, eu adorei ler
e voltar no tempo
Lindo mesmo
Abraços
e bom domingo
Rita!!!

Maria Rodrigues disse...

Como sabe bem recordar os momentos mágicos do passado. Também eu tinha um Natais muito humildes mas tão cheios da alegria e amor.
Beijinhos
Maria

Anne Lieri disse...

Celina,que bonita a sua narrativa!Esses Natais é que tinham verdadeiro sentido,a festa era da família,não havia tanto consumismo e os sentimentos eram mais puros!Adorei seu belo texto!bjs e boa semana!

Evanir disse...


A verdadeira amizade jamais é esquecida
por mais distante que eu esteja meu pensamento estará sempre contigo.
Linda é nossa amizade estou passando por uma chuva
não chamaria de tempestade , pois tudo Jesus resolve.
Sem sua amizade e dedicação não teria sido possivel continuar
meu coração faz uma festa quando vejo seu carinho no meu blog.
Nessa segunda feira estou passando para desejar uma semana abençoada por Deus.
E aproveitar para deixar meu carinho e mil beijos meus.
Carinhosamente ,Evanir.
Devagar Voltando...

Toninhobira disse...

Passando para desejar uma bela semana.
Meu carinhoso abraço de paz e luz.

Misturação - Ana Karla disse...

Celina, lindo esse seu jeitinho de relembrar o Natal.
Ainda peguei um pouco do Natal pelo interior, nessa simplicidade que falastes.
Hoje tudo gira em torno do consumismo.
Abomino.
Um xero grande

Toninhobira disse...

Ola minha amiga,deixei um convite para voce no meu blog,mas fique bem a vontade para aceitar ou não.
Meu terno abraço.
Bjo.