segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Santa das Rosas


"A Santinha da Alma" como era conhecida o pequeno vulto da imagem de Santa Terezinha do Menino Jesus.
Ficamos conhecendo-a através da cunhada da minha mãe: Um dos meus irmãos se encontrava enfermo e, a minha mãe estava aflita, porque os remédios tomados não tinham uma resposta positiva. Foi aí que a cunhada visitando-a perguntou a minha mãe: "Porque você não faz uma promessa a Santinha da Alma, ela tem feito bastante curas". Mamãe fez a promessa, antes, visitou a santinha levando flores e um maço de velas.
Chegando lá a dona da casa a recebeu, levando-a conhecer a santinha. Estava em um quarto simples onde havia um oratório, com outros santos, mas a santinha estava em uma mesinha à parte, a queima de velas era grande e talvez por segurança ela estivesse só, a quantidade de flores mal davam para vê-la, mamãe perguntou porquê o nome de "Santinha da Alma"? E a senhora respondeu: Um dos meus filhos, boêmio, vinha voltando mais uma vez de uma noitada, caminhando, quando nas imediações de um cemitério avistou uma moça esguia, caminhando com muita leveza, "essa moça a uma hora dessas pensou..."

Pensando numa possível aventura tentou acompanhá-la, mas ela andava muito rápido, chegou a emparelhá-la, fez diversas perguntas: Onde morava? O que estava fazendo sozinha na rua em uma hora daquelas? Ela respondia, mas ele não entendia. Atravessou o que parecia ser um campo de futebol, até chegarem aos fundos de uma casa, onde ela empurrou a porta da cozinha e logo depois, um pequeno quarto apareceu, de onde havia duas camas de campanha e um pequeno oratório, ela ajoelhou-se e começou a orar, ele em pé observando-a, depois ela levantou-se deu um pequeno sorriso, pegou uma pequena santa que estava ao lado dos outros, e deu a ele, admirado de seu gesto, quando se refez ela já atravessava novamente o campo.
Veio para casa ao amanhecer, custou a dormir, levantou-se voltou ao local dessa vez pela porta da frente, perguntou a vizinha pela moça dando alguns detalhes, aí a mulher respondeu que ali moravam três moças, trabalhavam fazendo charutos para uma fábrica e foi morrendo uma a uma de Tuberculose, a última tinha sido a moça por ele descrita.
Ele convidou a vizinha para ir com ele, mostando a ela que estava dizendo a verdade!Entraram pela porta de trás, como ele tinha feito na madrugada anterior, estava lá as duas camas, o oratório e um canto vago deixada pela santa!Serviu, curou um boêmio de andar a esmo pelas ruas, tendo encontros misteriosos e estranhos.O meu irmão ficou bom, a minha mãe ficou devota, sempre levando flores para a santa Terezinha do Menino Jesus, A SANTA DAS ROSAS.

Ps: Antigamente as casas onde morriam tuberculosos, ficavam meses e até anos abandonadas, era o pavor de contrair a moléstia!

2 comentários:

socorro disse...

Oi Celina!! adorei essa história!!mil bjs!!Maria Carneiro

socorro disse...

Oi Celina¹ adorei sua história abrçs.