quarta-feira, 29 de julho de 2015

Solidão



À medida que te elevas, monte acima, no desempenho do próprio dever, experimentas a solidão dos cimos e incomensurável tristeza te constringe a alma sensível...
Onde se encontram os que sorriram contigo no parque primaveril da primeira mocidade?
Onde pousam os corações que te buscavam o aconchego nas horas de fantasia? Onde se acolhem quantos te partilhavam o pão e o sonho, nas aventuras ridentes do início?

Certo, ficaram...

Ficaram no vale, voejando em círculo estreito, a maneira das borboletas douradas, que se esfacelam ao primeiro contacto da menor chama de luz que se lhes descortine à frente.
Em torno de ti, a claridade, mas também o silêncio...
Dentro de ti, a felicidade de saber, mas igualmente a dor de não seres compreendido...
Tua voz grita sem eco e o teu anseio se alonga em vão.
Entretanto, se realmente sobes, que ouvidos te poderiam escutar a grande distância e que coração faminto de calor do vale se abalançaria a entender, de pronto, os teus ideais de altura?

Choras, indagas e sofres... Contudo, que espécie de renascimento não será doloroso?

A ave, para libertar-se, destrói o berço da casca em que se formou, e a semente, para produzir, sofre a dilaceração na cova desconhecida.
A solidão com o serviço aos semelhantes gera a grandeza.
A rocha que sustenta a planície costuma viver isolada e o Sol que alimenta o mundo inteiro brilha sozinho.

Não te canses de aprender a ciência da elevação.

Lembra-te do Senhor, que escalou o Calvário, de cruz aos ombros feridos. Ninguém o seguiu na morte afrontosa, à exceção de dois malfeitores, constrangidos à punição, em obediência à justiça.
Recorda-te dele e segue...
Não relaciones os bens que já espalhaste.
Confia no Infinito Bem que te aguarda.

Não esperes pelos outros, na marcha de sacrifício e engrandecimento. E não olvides que, pelo ministério da redenção que exerceu para todas as criaturas, o Divino Amigo dos Homens não somente viveu, lutou e sofreu sozinho, mas também foi perseguido e crucificado...

EMMANUEL
(Do livro "FONTE VIVA",  70, FCXavier, FEB)
Abraços Celina

9 comentários:

✿ chica disse...

Que linda mensagem,Celina e o melhor ainda é te ver! Saudades! bjs praianos, chica

Gracita disse...

Olá Celina
Que alegria vê-la novamente postando no blog amiga. A saudade era imensa minha querida
A mensagem maravilhosa. Um reflexão excepcional
Um forte abraço, muitos beijinhos e doces sorrisos pra ti amiga amada

Toninho disse...

Uma bela e profunda mensagem para bem ilustrar sua volta.
Que bom Celina ter suas partilhas para uma reflexão bela.
Que seja leve e alegre seu fim de semana.
Que Agosto venha com força de paz e luz em sua vida.
Carinhoso abraço.
Seja bem vinda.

Mirtes Stolze. disse...

Bom dia Celina.
Vim lhe desejar um abençoado més de agosto. Uma mensagem bela. Beijos.

Maria Rodrigues disse...

Que mensagem tão linda.
Beijinhos
Maria

Toninho disse...

Olá Celina,vim lhe desejar uma semana de renovações das esperanças.
Beijo no seu lindo coração.
Carinhoso abraço de paz e luz.

Antônio Lídio Gomes disse...

Celina, venho lhe desejar um bom dia e dizer que estou apreciando seu espaço tão encantador.
Admiro e respeito a pessoa de Chico Xavier, pois foi como poucos, amigo dos pobres e um homem voltado para o bem e a paz. Quero hoje lhe convidar para dar uma passada nas Vozes de Minha Alma, pois tenho um novo poema por lá. Seja sempre bem-vinda, um fraterno abraço e um beijo.

Celina disse...

Vim agradecer o teu comentário, desejando um bom dia e tudo de bom para vc, Deus te abençoe sempre, são os meus votos, abraços

Nal Pontes disse...

Que linda mensagem. Saudade de vc amiga. Desejo um lindo final de semana. Bjs