segunda-feira, 9 de maio de 2011

Ser criança

Imagem do Google
Quando somos crianças, as nossas emoções são diferentes. Vivemos em mundos paralelos com os adultos. Diria até que é um mundo mágico. Até as crianças mais pobres, elas tem sempre sorrisos nos lábios. Só tem uma coisa que as crianças não gostam : é da fome! Ninguém gosta, mas nas crianças é diferente! Pobreza para as crianças é indiferente. Tanto faz ser um brinquedo caro, como um mais simples, como um carrinho, uma bola,uma boneca cara ou uma bruxa de pano; a criança tem a facilidade de criar o seu próprio mundo.
É tão fácil fazer uma criança feliz! Um sorriso com amor é retribuído imediatamente!
Às vezes os nossos pais estranham quando conversamos sozinhos com os nossos brinquedos. Estamos no nosso mundo.
Ah! se todos soubessem como é importante a infância, haveria mais respeito e proteção com esses pequenos heróis!
É fácil dar alegria a uma criança, basta a nossa atenção, o nosso carinho, a paciência é muito importante também.
Quando somos crianças, ninguém não nos prometa nada, pois a cobrança vem logo! Se for um passeio, vamos dormir cedo para chegar logo o outro dia.
As brincadeiras, os jogos, todos têm o seu fascínio e as reinações é cada uma !!
Aconteceu comigo: fiz a querida tia e madrinha amada e minha avó passarem por um susto!
Foi assim :
No jardim haviam muitas plantações de hibiscos vermelhos, que também é conhecido como papoula no Recife e Marvão em Natal. Eu colhi alguns, e estava no meu ''mundo encantado'' conversando com elas.
No quintal existia um barreiro grande com bastante água da chuva que servia para aguar as plantas, outra tia me convidou para ir na casa de uma amiga buscar algo. Eu gostava de bater pernas... joguei as flores na água e a acompanhei, nisto a minha avó saindo no quintal, não me vendo, perguntou a filha por mim. Ela, naturalmente respondeu que eu estava brincando. Já preocupada, olhou para o barreiro, e viu as flores. Então apavorada, pegou uma vara grande, e começou a procurar no poço, ver se eu tinha caído. Já prestes a desmaiar, eis que apareço com minha tia. Sobrou para todos o "descarrego do susto", e para mim umas boas chineladas.
Neste dia estava sem sorte ou foi castigo, chorei muito e pedi para me deitar. A minha avó estava morrendo de pena de mim, foi armar a rede no quarto - As camarinhas como se chamavam antigamente, eram bastante escuras, a minha avó, já curta da vista, em vez de botar a rede no armador, botou num prego grande de dependurar roupas, aí já viu !
Quando pus o joelho na rede, e entrei, não deu outra! a rede caiu, daí o berreiro aumentou! aí veio a avó, a tia que estava chateada me abraçar e pedindo desculpas aflitas! Aí foi beijos, abraços! Eu nunca havia me sentido tão amada!O que é uma família !
Outra coisa que faz a criança feliz, é a chegada de um circo à cidade. Quanto mais mambembe melhor! Daqueles que saem às ruas gritando com os palhaços na frente: ''
O que o palhaço é ? É ladrão de mulher!!''
Ah ! que saudades! A noite estava lá sentada com a família assistindo o espetáculo e dando boas gargalhadas! Que falta deve fazer à uma criança, um lar, onde ela se sinta protegida, e amada. É o seu alimento espiritual, é a sua felicidade!
Se soubéssemos a falta que isso faz, viveríamos intensamente tudo. Passa rápido, mas tarde, só resta a fantasia.
Vem o primeiro amor, cheio de sonhos, queremos então estar numa ilha solitária, para ninguém intervir. Graças a Deus que esta ilha existe só na nossa imaginação ! Depois acordamos com os primeiros desencantos, deixando a realidade vir, pensando no nosso futuro, aí o sonho de criança ficou para trás!
 

Paz para todos Celina.

*Postagem Publicada em 01/02/2010

14 comentários:

Toninhobira disse...

Olha Celina o melhor da vida é este saco de lembanças que temos para fuxicar e de lá ir retirando fragmentos de nossa historia.Ser criança era sinonimo de arte.A gente tinha de encher o tempo e a criação era alta, assim como as peraltices.Adorei, pois vivemos um tempo feliz de idade.Haja historia né Celina.Muito bom recordar com alegria.Meu abraço de paz e admiração.Bju de luz.

✿ chica disse...

Que danadinha foste,heim?

E como é legal ter essas recordações bem frescas na mente e nunca esquecer delas...

Adorei ler! beijos,tudo de bom,chica

José Sousa disse...

Celina minha grande amiga!
Adorei este texto, pois ele fala num assunto muito interessante e que os adultos deveriam pensar bem neste caso!

Adorei este artigo que mexe com a verdade sobre a criança!

Um beijão

Amapola disse...

Boa noite, querida amiga Celina.

Imagino a aflição da sua avó.
Menina, aquele não era o seu dia, heim? Ô DÓ...

Você falou do circo. Eu adorava quando na minha cidade, chegava um circo, ou um parque. No parque, pessoas ofereciam música para outras, como prova de amor.

Eu ainda era menina, mas achava isso tudo muito romântico, muito bonito.

Havia um tablado, onde tinha show "pastelão" e eu adorava. Eram piadas leves e cheias de graça.

Sempre vinha uma dupla no estilo do "gordo e o magro". Saudades.

As moças ficavam andando devagarinho por todos os lados, para chamar a atenção de algum flerte.

Adorei!!

Um grande abraço.
Tenha uma linda semana.

Catia Bosso disse...

Cel, que super texto hein! Realmente é fácil fazer uma criança feliz e mais ainda compartilhar dessa felicidade, mas nós, adultos, somos muito ocupados e esquecemos de nos achegar né! Adorei seu post! bjs

Catita

Vozes de Minha Alma disse...

Celina, quando criança, temos nosso mundo e nele nos entregamos como que em um mundo encantado.
Nada é para sempre, porém as boas recordações ficarão na memória.
De vez em quando é bom recordá-las, pois recordar é viver.
Um abraço afetuoso do teu leitor, beijos.

Maria Alice Cerqueira disse...

Bom dia!
Paz e Bem!
Celina, venho te agradecer por sua visita ao meu cantinho, esta me deixou muito feliz.
Seu texto é lindo. Eu acredito que precisamos manter os sonhos de criança dentro do nosso coração, porque o sonhos de criança nos ajudam a viver nossa avida atual com mais doçura. o que não está facil no mundo atual, que o querer está sempre afrente do que o ser. eu sinto falta do meu tempo de criança em que podia sentir o aroma do Amor no coração de um adulto.
tenha um lindo dia para voce.
o meu abraço fraterno.
Maria Alice

Anne Lieri disse...

Celina,quantas lembranças bonitas de infancia!Algumas chineladas e acidentes,mas percebi o amor familiar e isso é mesmo o mais importante para a vida de uma criança!Adorei te visitar!Bjs,

Amapola disse...

Bom dia, querida amiga Celina.

Muito obrigada pelo acalanto.
Me emocionei, e as lágrimas rolaram!

Beijos no coração.

Cacá - José Cláudio disse...

Ah, Celina, que lembranças deliciosas! O mundo das crianças bem que podia se reproduzir sem parar em vez do contrário que vem ocorrendo atualmente, com elas sendo inseridas no mundo sem graça dos adultos e acabando com a infância tão precocemente! Adorei suas histórias de menina sonhadora e livre e amada como todas as crianças deveriam ser. Abraço grande. paz e bem.

ONG ALERTA disse...

As lembranças nos fazem viver...beijo Lisette.

Cacá - José Cláudio disse...

Oi, Celina. Passei para saber se está tudo bem e desejar-lha uma ótima semana. Abraços. Paz e bem.

gregus disse...

ainda bem que eu fui praticamente um filho/neto santo e imaculado que nunca dei trabalho !

auhahuahuahuauhahuaauhauh

Toninhobira disse...

Depois da tempestade(chuva/Sport) vem a alegria do Sol e beleza das manhas, e a terna noite a nos inspirar e embalar para recomeçar.Um belo recomeço Celina.Meu abraço carinhoso.Bju de luz nos seus dias.